quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Poema à duas mãos, poema de sete cabeças...publicado em 23/06/2009...

CAPITULAÇÃO
Lidi Satier/Antonio Siqueira














Verdade é sentir a alma fugir da matéria
A miséria que me arranca a vida do peito
Estreito, sem pulso, sem artéria
A séria razão da tua causa e teu efeito
Meu leito, me deito: teu feito e féria
Nega, ao menos, teu conceito
Ou que te alegre toda essa pilhéria
Enquanto dor e lençois ajeito
Finda, finda, finda vida!
Morte olha-me e recua
Finda vida partida
Fim da vida que era tua.


4 comentários:

Magda Camila disse...

Nem tudo que vem de dentro, mas até o descontentamento tem seus encantos e uma beleza especial. Que frio está fazendo aqui, querido!
Belo poema a duas mãos!

Que 2011 venha logo! =[

Anônimo disse...

Um saco entra aqui, tem que amostrar tudoooooooooooooooooo....feliz 2011

Que saco!

Antonio Siqueira disse...

tem que mostrar o quê? quem é você? eu heim! =/

Silvia disse...

Sim.
Muito bom..
beijos!

Postar um comentário

Diga-me algo