quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Descanse em Paz, Madiba!



Missão Cumprida:

RIP: Nelson Mandela 
Por Antonio Siqueira



Nelson Rolihlahla Mandela, ✿1918 – ✝2013

















Jesus de Nazaré veio à terra, ensinou aos terráqueos que amar ao próximo como a si mesmo, independente de credo, cor e raça era a chave do entendimento, tanto no que concerne ao físico, mental e humano, quanto espiritual. Foi massacrado por  judeus canalhas que não valem estas linhas, mas deixou plantada no coração do homem, a semente do amor universal. Mesmo com sua imagem explorada ao máximo, os eternos vendedores de ‘indulgencias ignominiosas’, salvações bestiais e guerras... muitas guerras! Com esta atmosfera de loucuras e vilipêndios de seus ideais, sacros ou puramente humanos, Jesus ensinou a amar. E este amor prevaleceu e sobrevive há pouco mais de 2000 anos.

Existiu outro homem, nascido quase 2 milênios após Jesus,  que passou por este planeta e conseguiu fazer com que seus ideais de fraternidade, igualdade e harmonia entre os povos, se concretizassem sem ser assassinado. Que foi condenado à prisão perpétua por lutar contra a segregação racial na África do Sul do Séc XX; o Apartheid. A segregação racial na África do Sul teve início ainda no período colonial, mas o apartheid foi introduzido como política oficial após as eleições gerais de 1948. A nova legislação dividia os habitantes em grupos raciais ("negros", "brancos", "de cor", e "indianos") , segregando as áreas residenciais, muitas vezes através de remoções forçadas. A partir de finais da década de 1970, os negros foram privados de sua cidadania, tornando-se legalmente cidadãos de uma das dez pátrias tribais autônomas chamadas de bantustões. Nessa altura, o governo já havia segregado a saúde, a educação e outros serviços públicos, fornecendo aos negros serviços inferiores aos dos brancos.

Madiba (apelido de infância de Nelson Mandela) , lutou contra o Apartheit, foi capturado e  ficou preso por 28 anos. Uma verdadeira guerra civil o fez liberto. Mandela esperava para si e seus amigos a pena de morte. O juiz Quartus de Wet, no entanto, anunciou no dia 12 de junho de 1964 que decidira não aplicar a pena máxima. Sob o argumento de estar apenas cumprindo sua obrigação e que esta era a única clemência possível, ele condenou todos os acusados à prisão perpétua. O então prisioneiro político mais conhecido do mundo seria libertado só em fevereiro de 1990. O hino do ANC virou hino nacional e Nelson Mandela foi eleito, em 1994, primeiro presidente negro da história da África do Sul. Em outubro do mesmo ano, recebeu junto com o último presidente branco, Frederik de Klerk, o Prêmio Nobel da Paz.

Madiba morreu hoje, aos 95 anos.  Em 1988 foi inaugurado em Campo Grande RJ, bairro em que nasci e fui criado, o CIEP Nelson Mandela  com a ilustre presença de Madiba, sua esposa, o Governador Leonel Brizola e autoridades locais da época. Eu estive lá, era perto do centro, onde eu morava. Olhei nos olhos daquele homem e senti uma paz que só os espíritos bons transmitem. Que só o amor pelo ser humano, suas causas, suas dores e seus sonhos, é capaz de gerar. Descansa em PAZ, Madiba!


O dia de Madiba, a libertação:





9 comentários:

Márcia Cristina disse...

Maravilhoso!
Homenagem merecidissima!
Um ser do bem...
Dificil para esse "nosso" mundo...Os "iluminados" se vao! :-/
Descanse em paz...

Antonio Jorge Mendes disse...

Mandela se vai ...... Ponto para a injustiça e a imbecilidade humana

Celso Lins disse...

Raramente um homem é determinante para a história do mundo atravessando dois séculos.
Descanse em paz, Nelson Mandela!

Anônimo disse...

"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar."
(Nelson Mandela)

Luana

Anônimo disse...

Uma RESENHA que se vai em tempos macabros de uma humanidade totalmente perversa .

Uma figura deste naipe passa para eternidade…e só temos (até agora),
cinco comentários..contando com o meu (…) Desprezo lamentável .

Louvado seja o nosso ETERNO E IMUTÁVEL YAWHE…pelos dias de vida de Nelson Mandela.

A nossa querida e maravilhosa AFRICA…lamenta e chora a morte de um de seus filhos queridos.

YAWHE SEJA LOUVADO..SEMPRE…

Lourenço Braga - Guarulhos - SP

Antonio Siqueira disse...

Obrigado Lourenço, porém, o Arte Vital é um blog de alcance limitado, feito m ui t o para pessoas amigas ou que, de fato, admiram a filosofia do espaço e seus articulistas.
Poucos, porém, valorosos estes comentários, inclusive o seu.

Forte abraço e volte sempre.

Anônimo disse...

Fará muita falta, essencialmente para a estabilidade e unidade da África do Sul assim como toda a África Negra. Um estadista fantástico!

Marcelo

Celina Moura Dias disse...

Texto sem igual.
Não haverá outro assim, pelo menos neste século.

Anônimo disse...

Os familiares dele já estavam brigando em pleno funeral para ter acesso aos poucos bens que ele deixou, uma casa, uma fazenda e uma penção vitalícia de ex-presidente. Já tinha ouvido falar q a família dele era de última. Acho que a única pessoa que prestava nessa família era ele mesmo.O resto....é apenas resto.Não fazem juz ao nome do pai.
Ralé.

Luiz Maciel - RJ

Postar um comentário

Diga-me algo