quarta-feira, 18 de setembro de 2013

RiR: O Reino Encantado dos Medinas Saltitantes


Palco Sunset é o grande barato

Família medina deveria organizar espetáculos circenses, não festivais de "rock".
Por Antonio Siqueira



Marky Ramone - Lenda Viva!


     









     




      Fora o fato de o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro pedir a suspensão da segunda semana do festival  por insuficiência no atendimento dos postos médicos e as porradas que o filho de Preta Gil, um tal Francisco, deu em uma menina de 13 anos, tudo correu normal no Reino Encantado dos Medinas Saltitantes. Com a diferença que o Senhor Roberto passou para sua filha doidona, já há alguns anos, as responsabilidades de organizar o RiR e não melhorar em absolutamente nada, pelo menos no que concerne a qualidade dos shows.  

     Segundo os agentes da prefeitura de Dudu Malvadeza, nas áreas para atendimento não havia médicos suficientes, que os espaços eram reduzidos e que não havia pistas de escape seguras para a remoção de pacientes. A assessoria de imprensa do Rock in Rio disse que ainda não foi notificada, mas que está providenciando melhorias no setor. Fala sério: quem quer saber de atendimento médico? A galera? No dia da apresentação do David Guetta, a galera consumiu água até faltar para os demais shows. Tomou-se muita balinha, com o calor dos infernos carioca, o resultado foi um gigantesco numero de desidratados apagados... e de uma vez só. Não há médico para tantos drogados frouxos ao mesmo tempo.

    Francisco Gil, filho da cantora Preta Gil e do ator Otávio Muller, acabou preso por agredir uma menina de 13 anos no primeiro dia do Rock in Rio e foi encaminhado ao posto do Juizado Especial no local. O moleque tem cara de retardado mental, não deveria estar só, tampouco em meio a multidões endoidadas. Queríamos saber o que uma menina de 13 anos faz num evento MP; é criança demais para um Festival de Rock e até via TV temos esta impressão. Só mais uma coisinha: O Francisco consegue ser mais feio que a mãe e o pai juntos. Uma mistura canhestra de jacaré com cobra d’água.


O PM e o funcionário do RiR parecem ter gostado da bunda da representante do juizado.
Moleque feio esse Francisco Gil!



       


     







Os shows

      No primeiro dia (13), Beyoncé encerrou o show rebolando ao som do funk "Passinho do Volante", de MC Federado e os Leleks, nada mais apropriado. Antes David Guetta soltava os bichos e o público foi ao delírio com uma rave gigantesca que lotou os postos médicos da Cidade do Rock. No meu tempo era excesso de cana mesmo, agora o pessoal fica doidão bebendo muita água. Será hiper-hidrose?


Living Colours: Showzaço com direito a perfomances
 

O que chamou a atenção é a qualidade dos shows no Palco Sunset. O Living Colours fez um show irretocável no primeiro dia. Uma banda amadurecida, com um baixista mágico e um guitarrista virtuoso e seguro. Mas enquanto o som fluía nos palcos Sunset e Mundo, mais uma vez o Rock Street - sensação da quarta edição do Rock in Rio - atraiu a atenção dos visitantes da Cidade do Rock. Quem passou pelo Rock Street no primeiro dia de festival viu de tudo! Música celta, irlandesa, banda cover dos Beatles com All You Need is Love, Evandro Mesquita e muita dança! E é claro a banda anfitriã, que abriu os trabalhos: a Rock Street Big Band.

      Os eventos que para a organização são secundários foram os de mais qualidade lógica. Ivete Sangalo é e sempre será uma presença inexplicável. Inexplicável para quem não conhece os meandros e armações financeiras da musica popular brasileira e do que as corporações que ainda cuidam destes artistas medíocres são capazes de fazer para que eles apareçam. O que sobrou de uma geração notável de artistas pop dos anos 1980 e 90, resume-se a Capital Inicial, J. Quest, Skank e Ivete....  To a bad end.

      Diante ao marasmo do Palco Mundo, o Palco Sunset era um consolo para quem pagou para entrar e quis assistir e ouvir algo decente.  Marky Ramone&Michale Graves, The Offsprings e Saints of Valory salvaram a Pele da turma que estava lá para assistir ao verdadeiro rock’n roll. Alias, o Sunset, na maioria do tempo, esteve mais cheio do que o Palco Mundo durante o segundo dia. Até que subiram ao palco, Florence and the Machine, mandando  pesado a sua word music da nova era (que alguns “entendidos” confundem infelizes com psicodelismo) e Muse, que fechou a noite com seu som 'indie progressivo'.



The Offspring: Punk do bom!
No terceiro dia de festival, o Pop foi quem deu as cartas nos palcos da "cidade do rock", que recebeu Justin Timberlake, Alicia Keys, Jessie J, Jota Quest, Aurea, The Black Mamba, Nando Reis, Samuel Rosa, Kimbra, Olodum, George Benson e Ivan Lins. Nando Reis fez um show digno de Palco Mundo e Ivan  mostrou a George Benson por que é considerado um dos compositores brasileiros mais respeitados no mundo da música. The Black Mamba é eficiente e faz dançar, o Olodum deveria, definitivamente, nomear um pai de santo, abrir um terreiro de macumba e ficar por lá por toda a eternidade. O samba nasceu na Bahia, apenas na cabeça encachaçada do Chico Pinheiro. Esperava-se mais de Alicia Keys. Porém, a necessidade que a faz tentar igualar-se à Beyonce, Lady Gaga, Madona e outras bitches of music, a faz perder a voz e mergulhar seus shows no marasmo. Mas Alicia está longe disso, apenas deveria mudar o formato de seus espetáculos, pois é notável cantora e compositora
...além de tocar piano muito bem.
No mais, se a vida começasse agora, ela poderia começar sem o Rock in Rio...pelo menos isto aí que chamam de Festival de Rock




Marky Ramone & Michale Graves - Sunset - RiR 2013








11 comentários:

Anônimo disse...

Rock in RIO SÓ TEVE CARA DE ROCK NZ PRIMEIRA EDIÇÃO. DE RESTO FOI "ROCK IN MONEY".

Anônimo disse...

Marky Ramone salvou essa porra!
The Offspring!!! Yeaaaahhhh!

Anônimo disse...

Marky Ramone,
The Offsprings e o Saints of Valory, my jovem!!!
É noise!!!!!!!!!!!!! :p

Anônimo disse...

Antonio, RiR já foi, meu amigo!
O resto é zuação. E zoa essa porra aê uahsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahssuaa

Beto

Antonio Siqueira disse...

O RiR teve seu ponto alto nas apresentações no Palco Sunset. Foi o que salvou!

@PedroAttila disse...

querido antônio siqueira, tomei conhecimento de uma sonzeira, e logo lembrei do amigo. é uma bandainglesa dos anos 70 que voltou agora. segue link. grande abraço. atualmente, estou somente no instagram @PedroAttila

http://www.youtube.com/watch?v=djTwNOOOplg

@PedroAttila disse...

antonio, escuta isso pelo amor de Deus!

http://www.youtube.com/watch?v=TnCsL3uTXLU

@PedroAttila disse...

perdoa mais um post, mas é que eu ando saudoso que compartilhar essas sonzeiras com o amigo.

http://www.youtube.com/watch?v=QgZVUd67XIw

Antonio Siqueira disse...

A casa é sua, meu AMIGO!
partindo pra ouvir agora...

Antonio Siqueira disse...

STRETCH!!!!
Que som do cacete!

Antonio Siqueira disse...

Tempo que não ouvia um som desses...e de 75, meu velho!

Postar um comentário

Diga-me algo