sábado, 19 de janeiro de 2013

Um poema ainda existe e é existencialista ao extremo:


Bem que te vi
 Por Osvaldir Sodré da Silva


Photographed by Marcia Siqueira












Um país  sem lei
pode mudar, basta querermos.
E no reino do faz de conta
mudou pelo encanto
do canto de um pássaro.
Onde um malvado rei
bem sei,
cuidava dos seus, impondo suas leis.
Ninguém ousava tirar dele
a ingratidão, a maldade,
tratava a todos como escravos.
Mas, um dia,
apareceu por entre os galhos
um pássaro lindo,
e pôs o rei,
num situação, direi,
de sobressalto.
O pássaro viu
aquele lugar desumano,
e pôs-se a visitar o rei todos os dias,
Emitia o som alto, mais que podia,
e aos ouvidos do rei chegava aquele:
Bem te vi, bem te vi,
Fazendo o rei pensar
que estava sendo vigiado.
Assim, por uns tempos,
o rei malvado deixou seu povo em paz
Mas, os pobres coitados do reino,
não entenderam o que fez o rei modificar.
Mas, a partir de então,
passou a ser querido.
Sabia ele que a razão,
era o controle maldito
daquele pássaro.
cuja ideia era seguir o seu caminho,
mas, percebendo a mudança na cidade,
sem saber que o rei malvado,
com medo, e controlado
pelo canto, modificara seus métodos
O pássaro resolveu que voltaria ao reino
Todos os dias pelas manhã e a tarde
E foi assim, que aquele reino ficou em Paz,
Por muitos e muitos anos.




Paul McCartney - My Love







Osvaldir Sodré da Silva é 
professor de literatura, 
escritor, poeta 
e escreve o blog Arte, Prazer e Afins






Todos os direitos reservados ao autor da obra ®




4 comentários:

Dra Márcia Cristina disse...

Emocionei-me ao ver e ler, este poema maravilhoso aqui.E ainda acompanhado desta linda musica.
Homenagem mais do que merecida,ao autor!!
Um ser humano impar,ao qual tenho eterna admiracao!!
Aplaudo...
Amo voces dois!!

Anônimo disse...

Humano demais, realmente.
Belíssimo!

Naná

Osvaldir Sodré da Silva disse...

Ainda realmente espero que isto ocorra por aqui. Acorda Brasil!

Osvaldir

Antonio Siqueira disse...

Isso chama-se esperança, nunca utopia.
Abraço forte para ti.

Postar um comentário

Diga-me algo