segunda-feira, 19 de março de 2012

Um poema ainda existe

Mormaço
Por Antonio Siqueira

Foto: Mormaço - Renan Viana














Não há tempestade
Nem nuvem negra
O céu, a estrada
Era domingo de sol e chuva
Derramavam seus prantos
Desconsoladas viúvas
Deste verão descompassado
No meu peito repousa o teu sorriso
Ao sul o azul borrado por nuvens inquietas
Ao norte, o sinistro negrume
Soprando o gelo das chuvas de março
Sobre a floresta, um profundo mormaço
Cuidarei dos teus olhos
Por muito tempo.


5 comentários:

Anônimo disse...

POESIA
TEM
QUE
SER
ABSURDA :)

liana becker

Anônimo disse...

Amei!
Poeta, tu é bom, mano véi!

Luana

Márcia Cristina disse...

Linda demais,Toninho! :) <3

maria clara loureiro disse...

Parabéns! linda poesia.

Antonio Siqueira disse...

Obrigado, queridas!
Obrigado, Marcinha...aliás, eu estava a teu lado na hora que rabisquei estas linhas na minha agenda rs
Beijo a todos...

Postar um comentário

Diga-me algo