quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Notas e notáveis: SWU Full



Ultrajado com rigor

Gabriel e Roger


















Que Peter Gabriel era o astro da noite do último sábado no SWU, todos sabíamos. No início da apresentação dos brasileiros, técnicos de ambos artistas protagonizaram uma briga de socos e pontapés em cima do palco. O fim do show do Ultraje teve o som cortado pelo empresário de Gabriel; Lamentável e demasiadamente feio. Os ingleses são ogros por natureza, é fato. E Roger, o "ultrajado", apesar de ser extremamente inteligente e de QI elevadíssimo, não leva desaforo para o travesseiro.



Porrada
O inglês, que escreveu uma das histórias mais notáveis do ProgRock à frente dos vocais do épico Genesis, admitiu sua parte de culpa e emitiu uma nota na qual se desculpou pelo ocorrido. Segundo a nota, devido as fortes chuvas, as apresentações ficaram todas atrasadas e, numa reunião entre a produção do evento e os artistas, ficou decidido que todos diminuiriam o tempo de suas apresentações. O Ultraje não teria encurtado seu show e então o empresário de  Gabriel desligou o som da banda na última música. Gabriel telefonou para Roger, vocalista do Ultraje a Rigor, a fim de pedir desculpas pelo incidente. Disse não concordar com a atitude do empresário. Mas em nota, reforçou que todos os artistas haviam                      
concordado em cortar 15 minutos de seus shows.


A maioria das pessoas, como esperado, tomaram as dores de Roger Moreira. Mas ainda falta que ele e o Ultraje a Rigor também admitam seus excessos por não terem cumprido o que foi combinado.


Alice


Quem encerrou as apresentações no palco "Consciência" foi o Alice in Chains, banda norte americana que ficou conhecida como uma das principais integrantes do movimento grunge de Seattle do começo da década de 90 - a banda não passava pelo Brasil desde 1993 e sob forte chuva, coube à banda o desafio de afastar o fantasma de Layne Staley e apresentar para o público brasileiro o vocalista Willian DuVall, que não decepcionou.  Destaque para “Rain when i die”, música que deu um tom mais poético à chuva que não parava de cair em Paulínia.


 Chuva





Como era esperado, a chuva judiou o público nos dois últimos dias do SWU e, curiosamente, a organização do evento, em entrevista coletiva na noite de segunda, afirmou que não havia lama no festival. Que o digam aqueles que voltaram para casa com lama até os joelhos depois de assistirem aos shows no palco New Stage, cuja pista era um espaço gramado.


Megadeth




Dave Mustaine e cia iniciaram o show no palco Consciência com "Trust" e emendaram "Wake Up Dead" na sequência. As rodas começaram a abrir e o bate cabeça contagiou mesmo aqueles lá no fundo da pista. Assim que terminou "Hangar 18", Mustaine caminhou no palco, de lado a lado, aplaudindo o público e fazendo reverências, como se de repente ele fosse o fã e o público seu ídolo.

Depois de cumprimentar a platéia e dizer o quanto era bom estar ali, Mustaine perguntou se o público reconhecia a canção seguinte. "A Tout Le Mond" foi recebida aos gritos logo nos primeiros acordes.

As canções mais antigas, clássicos do heavy metal como "Sweating Bullets", "Symphony of Destruction" e "Peace Sells, But Who's Buying", foram as que mais provocaram reações efusivas na platéia. Mas a nova "Public Enemy no. 1" também agradou. Para o bis, a banda escolheu nada menos que "Holy Wars", sempre alucinante ao vivo, e encerrou seu curto show de uma hora de forma apoteótica. Lembrei com carinho da Silvinha Schroeder e do Eric Coutinho, casal lindinho e minhas "coisa fina dus paraná", moradores ilustres da "Pequena Londres" e que, provavelmente, levitaram. ;-)

*
O Duran Duran encantou e remeteu-nos há um tempo bom demais.

O SWU é infinitamente mais bem organizado e interessante que o Rock in Rio. Palavra de carioca desiludido com a Medina Family. Esses porcos burgueses daqui gostam muito sim...de dinheiro.

* O prazer me chama...Keith Jarrett in the rain


Peter Gabriel no SWU



5 comentários:

Anônimo disse...

Raio X divertido esse, Antonio, rs
A confusão entre a equipe do Peter Gabriel e o "Ultraje" foi feia e o MultiShow transmitiu ao vivo, menino! hahahahaha
Beijins de BH
Luana

aristides disse...

uhull .. estou assistindo o show do megadeth nesse exato momento ... demais ... explosivo ... e pelo jeito o SWU foi um sucesso ... vlw a menção ...

abs man ... bjo na careca

Thays disse...

Oooiii Antonioo!!! ^^
Eu estava assistindo o show do Ultraje tranquilamente no meu sofá quando de repente entrou um ogro no palco e parou td...na minha humilde opinião,eu acho que NADA justifica a atitude daquele cara,não gostei,achei muita falta de respeito com os artistas que estavam no palco fazendo a alegria do público presente e a minha em particular,e eu tenho certeza que haviam outras formas pra resolver a questão dos 15 minutos a mais ou a menos em questão!

Antonio Siqueira disse...

Tatá, Dereque e Lu; a casa é de vcs, meus mais que queridos! O SWU é imensamente maior em qualidade que o RiR dos mafiosos Medinas.
Abs

Anônimo disse...

FESTIVAL BONITO E COM UM IDEAL.

Postar um comentário

Diga-me algo