segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Um poema ainda existe a revelar sonhos belos


Beautiful
Por Antonio Siqueira





















Com coisas belas, sonhei a vida inteira
Mulheres
Paisagens
O som dos pássaros
Fazendas 'Vangogueanas'
A serra rasgando o horizonte, maciça... Imponente
O “sim” do amor
Poemas espalhados na mesa do chá das cinco
Alguém sorri na janela
Como uma tela
Um esboço de Vincent
sonhava sim,
Mas não esperava ela
Vestida do sol da tarde.
Não era tarde, era cedo demais
Meus olhos eram como dois girassóis enchendo o ambiente
De um amarelo surreal
Era ela sim!
Natural
Era o mar
A brisa
O sonho
Poderia a lua descer do seu pedestal cósmico
 E me beijar desvairada e perdida de amor
Poderia Deus ralhar com vontade
A vontade do amor seria plena
E eu viveria para sonhar com coisas belas.

6 comentários:

Ane Câmara disse...

Uma das coisas mais lindas que já li... e ao som de "Rouxinol", ganhou um encanto especial!
Estou adorando conhecer este seu lado poético!

Beijos meus!

mariza disse...

caríssimo Antonioni,

o que não lhe falta e a seus textos é poesia da boa. e por poesia da boa entenda-se: aquela indisciplinada, nascida do momento do coração, de um pedaço de lua, de um acorde, do acaso. ou ocaso. do sol e, por que não? também do mar e sua brisa. (ainda que o academicismo torça o nariz).
porque você, em qualquer texto, é todo poesia.
isso não é pra qualquer um, viu?
tenho dito.
beijo, feliz dia das crianças, Cascãozinho.

Anônimo disse...

Antonioni é garantia de poesia honesta e leal ao que se sente.
Adoro qdo ele, repito aqui: mesmo que raramente, escreve poemas simples e tocantes da alma como esta singéla e incisiva declaração ao amor.

Luana-BH

Dayana disse...

Sou bastante suspeita para falar do Antonioni como poeta ou gente que escreve e muito. Até por que as poucas musicas que fiz cantadas, foram letradas por ele; nunca vi ninguém melhor para isso entre os artistas que me relacionei. A meu ver é o melhor letrista que conheci pessoalmente e trabalhei. E essas musicas são belíssimas graças a ele. Não sei por que este moço escreve tão pouco poesias.
Beijão pra ti, Antonio

Celso Lins disse...

eu li parte da opera rock que este rapaz está escrevendo para uma suíte de um baita compositor e fiquei de cara. Mas é surpresa!
Muito bom , mano brown!!!!

Anônimo disse...

Um poeta como esse não destina a sua obra à musica que aí está?
A coisa tá preta!

Viviane Pádua

Postar um comentário

Diga-me algo