quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O atestado de óbito da invenção literária


Para onde ia James Joyce?
 Por Antonio Siqueira




      Depois que James Joyce escreveu aquele monumento literário chamado Ulisses era natural que criasse, ao mesmo tempo, uma via de mão única. É extraordinário que o romance inaugural de um novo modelo de prosa é o mesmo que decreta o início e o fim de si mesmo. Para os outros era impossível imitá-lo ou tê-lo como manual do romance moderno; para Joyce, ou se superava enquanto escritor ou decretava a morte pública através de uma experiência radical de linguagem. E veio Finnegans Wake, “the illegible book.

Finnegans Wake é o atestado de óbito da invenção literária cuja causa mortis só era conhecida por Joyce, a mãe em estado puerperal. Já li e ouvi que Finnegans Wake não era um livro para ser lido. Alguns afirmam que aquilo sequer podia ser considerado uma obra literária, tamanho o delírio, tamanha a transgressão. Em carta, Joyce confessou seu desejo em voltar a escrever um romance na forma tradicional. Como imaginar o resultado literário do livro que sequer chegou a ser escrito depois dessas duas experiências abissais (Ulisses e Finnegans Wake)?

      Num exercício de imaginação posso tentar uma aposta provocadora: sem a preocupação com a forma iria direcionar seu talento para a história e para os personagens. Mas ao escrever isso desvalorizo o trabalho de artesão feito por Joyce em Ulisses na construção e condução dos personagens e da história. Como seria o último livro do Joyce? Um Ulisses sem os experimentos? Um Dublinenses mais maduro e ainda melhor escrito? Será que Joyce, mesmo que não tivesse morrido, continuaria a escrever?

Perguntas sem respostas são igualmente interessantes e inúteis.


4 comentários:

Anônimo disse...

Me apresente Joyce, amigo. Será que tenho capacidade para sorve-lo?

Luana - BH

mariza disse...

se a intenção de Joyce foi manter ocupados seus críticos e leitores, conseguiu. segundo um crítico esse livro é pra ouvir. ô escritor complicado esse James. e difícil. e bárbaro.
beijo.

Anônimo disse...

Joyce era loucaço e teve o estômago perfurado de tanto beber. Um gênio estraterrestre.

Martinica da Cuica

Dayana disse...

Aqui aprendi quem era esse cara: Uma insanidade genial!Ulisses construiu um mito e destruiu a caretice.

Day

Postar um comentário

Diga-me algo