quarta-feira, 29 de junho de 2011

Funk não é música, muito menos arte...Com a palavra: Fernando Toledo


Depois de penar por horas com meus vizinhos escutando funk exaustiva e animalescamente, não pude deixar de me lembrar de uma pequena resenha escrita pelo meu saudoso amigo, o escritor, jornalista e tecnólogo: Fernando Toledo para o Caderno B do Jornal do Brasil em Março de 2005. Era um box sobre a resenha do ótimo  Luís Pimentel , Jornalista de O Dia no livro "Batidão - Uma história do funk", de Sílvio Essinger que li em 2008. Achei muito proveitosa a abordagem do grande Essinger. Esse texto é eterno para mim...Com a palavra, Fernando Toledo:



Não é música, muito menos arte
Por Fernando Toledo


      Muito se escreve sobre o funk carioca: alguns defendendo-o como manifestação artística legítima dos guetos do Rio de Janeiro; outros atacando-o, baseados em seus aspectos mais óbvios, como suas letras estilisticamente pobres, geralmente calcadas na apologia de drogas, violência e sexo desenfreado. Tudo isso é real, sem dúvida, mas o que esses óbvios detratores se esquecem é do aspecto mais importante em tudo isso: o funk carioca não pode, em hipótese alguma, ser chamado de música.

     Para que o fenômeno musical ocorra, três elementos devem estar presentes: ritmo, melodia e harmonia. E, nesse pretenso estilo, somente o primeiro se manifesta. O funk carioca se baseia, simplesmente, em frases entoadas ao longo de uma base rítmica, sem que haja um sentido horizontal (notas em série) ou vertical (notas sobrepostas, constituindo acordes). Dessa forma, não é música.

     Outro aspecto que cabe ressaltar é o de que qualquer obra de arte deve advir do engenho humano, de uma transmutação da realidade existente por meio do homem. E os ditos ''compositores'' de funk não operam neste sentido: limitam-se a samplear bases preexistentes para que os supostos ''cantores'' desfilem sua pretensa poesia. O elemento humano, o ser criativo, está excluído, logo, não pode nem mesmo ser chamado de arte, mesmo com a maior das condescendências.

     Assim sendo, pode-se afirmar, sem medo, que o funk carioca não é manifestação artística legítima de gueto nenhum, visto que, simplesmente, não é música, nem mesmo arte. E que opera numa esfera muito distante do humano.



Batidão de Silvio Essinger nas livrariasdesde 2005 e está na sua 6ª edição.

*Fernando Toledo, morto em 2006, era cientista, jornalista, escritor, crítico de musica e literatura, tendo escrito colunas nas publicações, “O Pasquim 21”, “Revista Música Brasileira”, "Jornal Brasilian Press", "Arena Cult", “Agenda do Samba & Choro” colaborando também com o Jornal do Brasil em 2005 . Os artigos da época do Caderno B do JB não estão mais disponíveis na Web, mas esse texto foi publicado em um box, junto da resenha do livro "Batidão - Uma história do funk", na edição do caderno B do JB de 27/03/2005.




56 comentários:

Anônimo disse...

Genial o texto desse cara!
Seus vizinhos são piores que os meus? Tenho certeza que não?
Abraços
Vanessa

marcio enrico disse...

para começar, chamar isso de funk é um crime contra ilustres pessoas como James Brown... Batidão...vá lá... música?

Antonio Siqueira disse...

Marcinho, qdo esse artigo foi publicado, salientamos justamente isso numa conversa de bar.
Abração

Anônimo disse...

Não é musica, não é arte, não é nada!

Marcelo

Magda Camila disse...

Genial esse Fernandinho que hoje escreve nas estrelas. Tive a honra de conhece-lo vivo e ele era fantástico mesmo! Funk não é musica e ponto final.

Anônimo disse...

Disse tudo não é musica, nem arte...!
o mais engraçado é que tem muita gente que "curte".

baroni disse...

Funk é um babado forte!
Polêmica certa.

Anônimo disse...

se não gosta de funck foda-se é o que ta pegando no momento todo mundo critica , taá se vc não curte milhares de brasileiros curtem , então cada um com seus gostos , o rock por exemplo é coisa do demonio os cara parece que fuma maconha fica loko no palco então vai se fuder se num curte caraio !

Antonio Siqueira disse...

Não gosto e não gosto de quem gosta...E AÍ? :X

Anônimo disse...

Se os cantores de rock parecem loucos cantando e os funkeiros então? Que fazem aquelas danças explícitas? Desde quando ficar empinando a bunda pros homens se excitarem é dança? Desde quando ficar falando coisas sobre sexo, drogas e coisas horrendas é música? Imagine as criançinhas que ainda não sabem nada sobre isso e escutarem uma música imoral dessas? Verem essas mulheres se expondo dessa maneira? O que essas crianças vão ser quando crescerem?
O funk deveria ser PROIBIDO no Brasil.

Antonio Siqueira disse...

O rock, ao menos, é uma manifestação a qual existe alguma harmonia e completa uma métrica musical, por vezes, perfeita.

Anônimo disse...

O carinha tentando defender o funk carioca em 29/12 é o que há de mais engraçado. Não consegue nem articular um argumento. Daqui a pouco, volta a xingar e vai dizer que vai dar porrada. Igual a "letra" de funk carioca; aliás, "funck". Fernando deve estar morrendo de rir disso.

Antonio Siqueira disse...

Ora, o carinha tentando defender o funk em 29/12 é um FUNKEIRO com certeza, né não?

Anônimo disse...

Aaaiiai fuunk meeu benhee sooo e a realidaad d Mtaas pesoa pooora...
Cee vs nun axa boon problemaaa seeeu maai teen pesoas q vivem nesaa realidaad..ixiii sae ae paa tu ve komo e uma pereferiiaaa. Eeee realidaaadd fiio. Ee qddo falaa d coiisa expliciitaas. Tdu mundo faaz se nggn fizesse nuun falavaa ee faaiz pooooo. . C tu vive nun paraiso q nun existee nadaa diisu fiirmeza.. viva nu seu mundinhu imaginnariooo. Ee roock e melhoor q funk???..... kkkkkkkk qeen ee u nooiaa q disee issu. Iisu e du demoniio. Pelo u q eu seei gritaa , uuu karinha laa noianu d fallaa q c reboola e empiina a bunda nm e dansaa ee desd quuandu fika iguaal lokoo en cima du palko parecendu q ta ko bichu nu Koorpo ee dansa harmoniiiaaaaa kkkk so c for ko demo kkkkkkk e iso e alguma koiisa q e exemmplo pas kriansaa . kkkkk .. e aee fioo e problema dus paaiis so nuun moostra pus fllho e kriansa kon 8 anos d iiidaad ja sab d mmta koisa .. as pesoas saben du q gostaaam... poow. Ee nuu kaso da expoosicao do korpo das garotas u korpoo e delas fio fazen u q qereem. C e bunitoo. Ten q mostraa msmm.. ee daae . Uu q e bunito e pa se mostraado.. ee aiaiaii homeens falandu disuu mai c uma garota daqelas rebola na frent deles ... aaaaaaa nuuus fikaan lokinhuus neee, ae ngn reklamaa. Komo vss saben td u q fala u funk ate u jeiito q c vestem, ?? C odeiaaaam tantu. Intaao faiz un favoor qriduss kuuida da vdinha d vss c ela nm ten grasa nen diversaao problemaa d vss agr dxa as pesooas q c divirtaan.. e larga d prekonceitoo meuw.. u brasil e um paiiis. Livree.. dxaa uu funkk q e um estilo d musikaaaa siiiiiiiim qrenndu vss oouu nun...ee q aliaas estaa estooraandu ... valeew pa qn konkoorda... ee fuck you qn nun konkkorda... tshauuziin.^^

SueD (-..-)+ disse...

se não gosta de funk, não ouça e fique na sua... Respeite o gosto dos outros, pq muita coisa que tu gostas muita gente pode não gostar. Mas nem por isso perdem o seu tempo e o respeito para ficar chamando de lixo.

Antonio Siqueira disse...

É LIXO!

Déboo Pischke disse...

Meeu Ma vão se fuude bando de desocupado que fika humilhando o FUNK Ma que porra e depois vem dizer no rock naum tem preconceito ma que merda foda-se vc Bllz ?

Anônimo disse...

eu ñ sou contra e nem a favor...mas respeito gera respeito, todo mundo tem o direito de gostar do q gosta, eu por exemplo ñ gosto de sertanejo nem por tanto critico.

Sérgio disse...

É fácil reconhecer comentários de 'fanqueiros' pela falta dos mais básicos conhecimentos de gramática e ortografia. Não surpreende que gostem desse lixo. Na boa, vão procurar uma escola, vão ler um livro!

E eu fico pensando até onde vai o conhecimento dessa raça com relação ao que eles chamam de 'música do demônio'. Será que eles tem uma noção de que o rock n roll é um movimento cultural e artístico que já data de mais de 60 anos, marcou a história - guerras, movimentos dos direitos civis, revoluções etc. - e que nada tem a ver com religião ou antirreligião (excepto talvez entre nerds fãs de black metal)? O que o funk carioca fez pela sociedade? Nada! É apenas a triste consequência de uma sociedade emburrecida pela mídia e por um governo que não investe no ensino.

Enfim, com relação a 'ficar na sua' e respeitar o outro, acho que quem deveria aprender isso primeiramente é essa escória que insiste em passar na frente das nossas casas a qualquer hora do dia (ou da noite!) com sons automotivos tão altos que chegam a fazer a casa tremer, ouvem celular sem fones nos ônibus e ainda tornam-se violentos com quem ousa criticar.

Anônimo disse...

que pena que ele morreu era um grande homem com grandes argumento

Antonio Siqueira disse...

Sergio, os cultuadores do funk carioca são elementos sem nenhuma referência de valores culturais solidificados por cultura dirigida, tampouco em suas criações; são seres limitados sim, sem conteúdo, sem nada. O que para mim não é desculpa para tanta ignorância. O acesso à cultura está aí na internet. Onde está o interesse? Nas mazelas do mundo. Que se danem esses bostas.

Anônimo disse...

eu axo funk muito legal !nem todos funks falam de putaria e coisas mais ! meu isso er uma bobeira tenhu certeza qe varias pessoas qe falam mal de funk um dia jah gostou !nao er verdae !

acauã:pássaro disse...

Que texto estúpido. Quer dizer que a música Concreta que abole relações harmônicas e melódicas não é música? Ou que os experimentos de John Cage nessa área também não são música? E qual a importância de ser música, afinal? Se pra ser música precisa se limitar a um conceito tão estreito e pobre, ensinados nos manuais mais escolares e conservadores, não ser música passa a ser uma vantagem.

acauã:pássaro disse...


Você que é um sujeito tão culto e versado nas Belas Artes provavelmente conhece as peças eletroacústicas de Stockhausen, certo? Pois poderia fazer a gentileza de me explicar de que maneira os critérios de melodia, harmonia e ritmo continuam a se validar em uma obra que é toda organizada a partir de relações timbrísticas?

Se quiser, podemos discutir a partir de outras bases. Já faz um tempo escrevi uma pequena apresentação para um congresso sobre a obra musical do John Cage. Coisa simples - mesmo para um cérebro de macaco - que até o senhor conseguiria entender. E o centro do argumento é justamente o progressivo tencionamento que Cage faz em sua obra dessas categorias centrais da tradição musical europeia, sobretudo do tonalismo e do princípio de organização harmônica da estrutura musical. Ou seja, Cage constrói sua obra justamente para dinamitar a concepção de música "verdadeira" que seu amigo mobiliza.

Ô seu Antonio, juízo de gosto não é análise estética. Nunca vai ser, por mais especial e inteligente que você se considere - e olha que há controvérsias sobre isso.

A propósito, antes que você tenha um outro siricotico, eu não sou um preto favelado maconheiro que ouve funk. Eu não gosto de funk. Mas acho sua arrogância conservadora disfarçada de patrulha do Bom Gosto e da Cultura algo muito mais prejudicial.

E alguns de seus textos sobre rock são bons. Esse texto sobre o funk, que não é seu, é muito ruim. Não quero te dar um tiro, mas entendo que essa seja uma saída razoável quando os argumentos cessam.

E para vossa fruição, que tal um funk do Caetano Veloso? Terá Siqueira colhões para publicar essa resposta?

http://www.youtube.com/watch?v=Gpjzo2MM-X0

Antonio Siqueira disse...

Para começo de conversa, Caetano não me diz nada, é um zumbi alimentado por uma mídia de mortos vivos, não me surpreende que este merda tenha desenvolvido um funk para sua sobrevivência no atual cenário. Não li “O Som e o Sentido” e nem me interessa este tipo de literatura; José Miguel Wisnik? Só um outro bundão que se considera músico me sugeriu e eu fingi não ouvir. Chega de conversas para ninar dementes! Tenho muito o que fazer, executar, criar...e ler, hehehe... Faça-me o favor. Me considero um patrulheiro do Bom Gosto sim! E assim sempre será!

Eu fui bem radical e disse com todas as letras que o texto não era meu (aliás, veja como fala de uma pessoa que já se foi, meu caro. Você é bem babaca, eu percebi. O bastante para cometer essas ignomínias), apesar de concordar em tudo. O funk carioca é uma maldição social que precisa ser erradicada o qto antes. Mesmo não sendo meu, lhe mando a MERDA com honras. Citar Cage aqui, fora o sacrilégio, é procurar qualquer argumento que defenda algo escroto demais, sendo você preto, maconheiro, favelado ou um cuzão escondido atrás de uma tela.
Quanto os seus anos de conservatório, sugiro que guarde-os para produzir algo que preste no contexto da música contemporânea. Ou pegue esses “anos”, talvez perdidos, e os enfiem no seu cu. Anos de conservatório para discutir e bostejar no espaço alheio, me soa estória de boteco. SE QUISER FALAR MAIS SOBRE, FALE-ME PESSOALMENTE. SE COMENTAR VAI PARA O LIXO. JÁ CONFIGUREI COMO SPAM.

FUNK NÃO É MUSICA MUITO MENOS ARTE! SIMMMM!

E uma bala na cabeça é pouco! É preciso que a conta da execução vá para a família desses vermes que destroem qualquer ambiente!
Aqui esgotou o argumento sim. Não existe argumento para tal... Porrada talvez, ou o silêncio, como bem sugere a morte!

Sem mais...

Anônimo disse...

Ainda existem babacas que se dizem "conhecedores" da música para defender vanguardas furadas e teorias infundadas e o pior, em favor do 'funk carioca'. Esse merda não conhece isso aqui!
Só você mesmo para publicar um raciocínio tão tosco advindo de um bosta que se diz estudante de conservatório. Bem, de tosqueira por toquesqueira, funk é assunto pra vomitar! EsMãe não se medíocre aí que subscreve-se 'Acauã' do cu da Mãe não difere muito. a paciência de que quem tem um blog como seu é que não pode ser Tosca. Segura a tua onda e desconsidere esses vermes que invejam até o cheiro do suvaco alheio.

Eloy Santana - Rio de Janeiro

Celso Lins disse...

Este idiota estudou no conservatório do cu da mãe joana! Nem perfil disponível tem, por que tem medo de botar a cara escrota pra fora!
Não dê crédito e um merda desses. eu já teria deletado o post. O Fernando era gigante demais para não estar aqui para se defender e engolir um bostão desses!
Filho da Puta!

Anônimo disse...

Eu concordo que cada um deve ter seu gosto musical, e concordo que deve haver respeito. Porém, o problema é exigir respeito e não respeitar. Eles dizem "se não gosta pelo menos respeita", e outros dizem "falem do funk quando o rock for exemplo". Posso citar Still Loving You, dos Scorpions, Don't Cry, do Guns N' Roses, Carry On My Wayward Son, do Kansas e várias outras baladas que fizeram extremo sucesso. Não só o rítimo, mas a melodia e a letra dessas músicas são perfeitas. Isso é exemplo de boa música.

OBS: Não possuo conta no site, então tive que deicar "Anônimo", mas não tenho medo de dizer quem sou. Eu sou João, tenho 15 anos e graças a Deus não gosto de funk.

Anônimo disse...

Aê funk meu bem só é a realidade de Muitas pessoas porra...
se vocês não acham bom problema seu mais tem pessoas que vivem nessa realidade..ixii sai aê para tu ver como é uma periferia. É realidade guerreiro. E quando fala de coisas explicitas. Todo mundo faz, se negign' não fizesse não falava e faz poow. . Se tu vive num paraíso que não existe nada disso firmeza.. viva no seu mundinho imaginário. E rock e melhor que funk???..... kkkkkkkk quem e o noia que disse isso.
Isso é do demônio. Pelo o que eu sei grita , o carinha la noianu de fala que c rebola e empina a bunda não é dança
e desde quando fica igual loco em cima do palco parecendo que tá com bicho nu corpo e dança?
harmonia kkkk só se for com demo kkkkkkk e isso e alguma coisa que e exemplo para as crianças?.
kkkkk .. e aê guerreiro e problema dos pais só não mostram para os filhos e crianças com 8 anos de idade já sabe de muita coisa .. as pessoas sabem do que gostam... poow. E no caso da exposição do corpo das garotas o corpo e delas fio, fazem o que querem. O que é bonito, Tem que se mostra mesmo.... e dai? . ..
e ai homens falando disso mais com uma garota daquelas rebola na frente deles ... aaaaa nós fica lokinhuus né?, aê neguin' reclama. como vocês sabem tudo sobre o funk? Sabem até como funkeiros falam e se vestem ?? se odeiam tanto. então faz um favor queridos cuida da vidinha d vcs cê ela não tem grassa nem diversão problema de vcs agr deixa as pessoas que cê divirtam.. e larga de preconceito meu.. o Brasil e um país. Livre.. deixa o funk entrar, e é um estilo de musica sim querendo vcs ou não...E que alias esta estourando ... valeu para quem concorda... e fuck you pra quem não concorda... xauzin'.^^

Anônimo disse...

aê pessoal fico me perguntando por que na zona sul pode ter boate e no morro não pode ter um baile! ??

Antonio Siqueira disse...

Eu? Ir na periferia?
Nem fodendo!
O funk carioca é um AZAR só de vocês.

Antonio Siqueira disse...

No morro?
No morro tem que ter escolas, cursos profissionalizantes, atividades culturais como música, teatro, esportes...
Que é para ver se vocês começam a levar uma vida decente e longe da escravidão, da prostituição e do tráfico de drogas.
Mas como já disse acima: O funk é um azar somente e tão somente de vocês!
Cada qual neste mundo tem direito as suas escolhas e se a escolha de vocês é comer bosta, eu passo até a pimenta.

Gaius Cassius disse...

Um dos maiores problema dos funkeiros é acreditar que todo mundo gosta do barulho deles. Eles não conseguem ouvir sozinhos, todo mundo tem que ouvir a merda junto com eles, seja no carro ou seja no celular, e pensam estar agradando. Se explodir a cabeça de um retardado desses, vai continuar andando, pois não tem nada dentro.

Anônimo disse...

SUPER INTELIGENTE A COLOCAÇÃO, A MELHOR DEFINIÇÃO QUE JÁ LÍ !!!

Anônimo disse...

Gente se naum gosta de funk tudo bem mais pra que ficar chingandoo!!! sou funkeiro e pô nao sao todos funks que falam de putaria. tenho certeza que quem ja foi pra balada festa akii so o que dar é funk e vcs danção!

Antonio Siqueira disse...

Em que língua (ou idioma) você se comunica, Anônimo?

Vou gerar uma versão humana do seu comentário para que os não funkeiros possam compreender o que escreveu:

"Gente, se vocês não gostam de funk, tudo bem...mas para quê ficar xingando? Sou funkeiro e...pô...não são todas as músicas de funk que falam putaria. Tenho certeza que quem já foi pra balada já dançou funk e em festas aqui, só o que toca é funk. E vocês dançam!"

Eu não, anônimo. Funk não é música, tampouco arte. Façam bom proveito.

Anônimo disse...

Essa gente que vem aqui defender o "funk" é nojenta, não sabem nem se comunicar. Dá até pra imaginar o tipinho e o lugar aonde moram, eca!

Antonio Siqueira disse...

Independe de classe social. A coisa flui de uma ignorância sem precedentes.Pessoas pobres materialmente não precisam ser pobres de alma.

Anônimo disse...

Impecável!

alex disse...

existe dança no funk sim! Eu chamo de "dança do acasalamento".

Anônimo disse...

Arte?
E bandidos fazem arte?

Anônimo disse...

Sério. Depois de ver o texto e alguns comentários, TIVE que comentar. Vou simplificar para todos, pois às vezes eu não entendo algumas palavras dos funkeiros. Talvez eu deva desistir de um possível emprego de Astrônoma ou Professora de Artes e virar PROFESSORA DE PORTUGUÊS.
Não gosto de Funk, mas respeito. É um estilo musical SIM, pois desferir xingamentos e difamar essa música é o mesmo que dizer que até o Funk norte-americano é ruim. Nem todos no Brasil são ruins também. Existem melodiosos, poucos, mas estão por aí.
Não tem lado certo nessa discussão. Funk com "melodias" horríveis e que abordam o sexo? Sim, é ruim para vários. Mas, os que gostam simplesmente gostam, não tem discussão, não há como mudar um estilo por causa de caprichos de quem não o segue. Mas nem todos os funkeiros ou os que apoiam (ou também os que não apoiam mas defendem algumas causas) são analfabetos e favelados, como no esteriótipo sobre quem escuta.
Pra mim, música é a melodia ou o som que o toca, que faz você se sentir bem ou triste de acordo com sua letra. Sabiam que a famosa frase "Isto é música para meus ouvidos", sobre um texto ou algo bom para a pessoa, não é uma afirmação errônea? Mas vai de acordo com cada um e seu estilo de vida. Convivência social e o que você já sofreu também interferem.
Afirmações como "Funk não é cultura" estão certas, afinal, para ser uma cultura, tem que ser algo que a maioria de seu povo tem em comum que é uma arte para muitos, um estilo de vida, algo bom e que faz parte de sua vida e que nasceu no lugar. E o funk não nasceu aqui. Só se transformou no que é hoje pelo fato de ter se espalhado pelo Brasil.
Apesar de, claro, ter funkeiros que seguem tão bem o estilo, que acham que é cultura. Fazer o quê?
O errado deles é achar que todos gostam disso. Mas só a maioria, pois têm os que não gostam. Como não usar fones de ouvido no ônibus, tocar em som alto num carro com o porta-malas ou o que tiver a caixa de som aberto, fazer essas festinhas com um som realmente alto e, muitas vezes, desafinado pela tonalidade.
Repito, vai de acordo com cada um.
Rock do demônio? Olha aí... Depois perguntam por que os dois lados estão errados... Tenho de admitir, isso deve ser falta de profundidade no assunto. Que tal um livro? Que tal "Enquanto o Sol não vem"?
Enfim. Estou atrasada para uma tarefa importante, algo que todos aqui devem ter também.
E senhor Siqueira, existe o corretor ortográfico no seu blog. Se não usarem, é pelo fato de não saberem realmente, ou terem escrito rapidamente. Poucos são os casos de analfabetismo completo, pois estes normalmente nem computador têm.

Mr. MAC disse...

Muito boa a resenha! Obrigado por postar Antônio! Precisamos nos engajar numa campanha esclarecedora, antes que continuem a associar a nossa cultura carioca com essa aberracão!

MATEUS HENRIQUE disse...

Sim. Funk carioca é Música!

Anônimo disse...

Isso poderia virar um teatro até. Não sei pra que tanta discussão. São estilos musicais, ponto. Nada mais, nada menos. Espero que tenham compreendido. Agora, irei tentar entender a Evillious Chronicles. *voa*

Anônimo disse...

PERFEITO!!!!
QUE É ESTE GÊNIO TOLEDO?

Anônimo disse...

FUNCK É CULTURA DE BANDIDO!

werison disse...

Funk não é cultura p mim, pois não ensina nenhum valor e respeito ao seu ouvinte.
Por não ter utilidade prática imediata, ñ permite vislumbrar outros valores importantes para a vida humana.
Quais são os valores ? Que elementos ali presentes compõem a mensagem? Como eles se articulam entre si, ou com os textos verbal e musical? O que dizem do contexto de produção? Como se ligam ao contexto de consumo?

Anônimo disse...

Funk não e mais nada do que uma escória da sociedade... eu até Apreciava o Brasil até que este Vírus atacou infectando mutas pessoas que tinham um futuro "promissor" mas muitos apenas pensan "funk e a coisa mais foda num tem poha nenhuma mio q essas vadia rebolando o cu na minah frente" para ser exato funkeiros apenas estão pelas mulehres que nãos e valorizam muito menos se dão ao conselho de se apreciarem e dar mais valor ao corpo e como o Grande Senhor Siqueira esta estatando eu acredito que Sim Funk ou melhor Funck e apenas um passatempo e que varias pessoas nao melhor varios inuteis acham que podem ficar escutando em caixas de som eu apenas teho 1 simpls solução Use The Curse of WitchCraft bem mas tanbém muitos funkeiros q nao sabem o que e uma sintonia liríca dizem "Rock e coisa do Demonio" prefiros adorar o Demonio do quer ter que comviver com seres ìnuteis que estão pior do que pragas de jardim apenas desejo uma coisa que se mundo se recompor não repita o mesmo que esta aconteçendo assim como estava escrito em um texto que um amigo meu fez "Mesmo esperando a solução ela não tenho que busca-la para que acabe com esse destino obscuro que nos espera" Brasil era promisor ams o Funk o Infectou o rendendo Ìnutil....

~Lucas Carvalho 13 anos~ Não tenho medo de seres Insignificantes como funkeiros...

metaleiro ghost disse...

Ouuuu cala a boca ae que e so na merda do rio ou de algumas regioes do brasik que so ouve funk sendo que ate a merda do nome vc escreveu errado, por mais pesado que seja rock e musica pois tem coerencia nas notas faz sentido!! E se somos do demonio problema e nosso e vcs so vem com o mesmo argumento de sempre que rockeiro não toma banho...er...e vcs so atacam o rock...q merda funkero e igual pombo tem um monte tudo igual e ainda transmite doenças..

metaleiro ghost disse...

Na verdade amigos rockeiros nos que somos os aliens nesse planeta chamado brasil

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk bando de analfas!

Anônimo disse...

funk é coisa de alienado, sem cultura, pobre de espirito e de gente que não sabe apreciar uma boa musica.

Clovisfera Clovinho disse...

como é faz falta a cultura na vida das pessoas , o funk não surgiu no brasil , mas sim nas periferias de new york , no bronks ,harley e broklin . e foi difundido para o mundo com seu grande mestre james brown , isso que é chamado de funk no rio de janeiro pode se qualquer outra coisa menos funk .

Anônimo disse...

Você esqueceu de falar da maldita repetição que o funk tem, repete, repete, repete, repete, repete, repete, repete, sempre a mesma coisa, com as mesmas batidas feitas num sample. Aff, e ainda vem alguem e chama isso de "Manifestação Cultural", funk só serve pra apodrecer o cérebro das crianças com tanta letra porcaria (sexo, drogas, palavrão, trafico, violencia).

Anônimo disse...

Você esqueceu de falar da maldita repetição que o funk tem, repete, repete, repete, repete, repete, repete, repete, sempre a mesma coisa, com as mesmas batidas feitas num sample. Aff, e ainda vem alguem e chama isso de "Manifestação Cultural", funk só serve pra apodrecer o cérebro das crianças com tanta letra porcaria (sexo, drogas, palavrão, trafico, violencia).

Postar um comentário

Diga-me algo