terça-feira, 8 de março de 2011

Até quando?



08 de Março: O dia das heroínas
Por Antonio Siqueira






Até quando?
No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano. Somente em 1910, numa conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU. Apesar dos avanços, das evoluções transformadoras e das vitórias significativas em milhares de causas, a violência existe e cresce monstruosamente, mesmo diante de leis severas.

Me recuso a buscar informações que nos dêem a estatística de quantas mulheres foram maltratadas, sub-jugadas, humilhadas, violentadas, roubadas, enganadas e mortas neste século de lutas. A verdade é que todos nós já assistimos por aí ou temos algum caso de violência contra a mulher em nossas vidas e em nossas famílias. Os homens são os mesmos, desde então; modernos ou não, filósofos esclarecidos, ignorantes, reis ou plebeus; A indigência mental diante do assunto é a mesma. Que a tolice seja devorada pelo bom senso! Despertai, amigo...Um ilustre mineiro, um dia, cantou: "a mulher é a melhor viagem"...Embarque nessa eterna magia da vida que é o ser mulher.



Ilustração: Latuf
* O machismo mata dez mulheres por dia no Brasil, by Carlos Latuff

4 comentários:

Celso Lins disse...

Para bom entendor...

Bem, não quero chover no molhado, mas é hora de refletir.
Ainda há tempo.

Nálu disse...

Parfait! E complementando: A Lei Maria da Penha está aí e vai ajudar a "conscientizar" a sociedade.
Bjus
PS: E que música, hein?

Dayana disse...

Loreena McKenetti combinou perfeitamente com o texto que é sensível no trato de um drama que só quem viveu sabe.
Parabéns para ti, meu saudoso amigo!

rodrigo disse...

Las mujeres son la luz del mundo.

Postar um comentário

Diga-me algo