quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Um poema ainda existe... a fotografia também...


Cinza Escuro
Por Antonio Siqueira
Em exercício sobre imagem Gotas 3 de Aristides Coutinho

Foto: Eric Coutinho





























Eu ouço uma canção em gotas
Eu ouço seu tilintar
Compasso mais que perfeito
Em duo com minhas lágrimas...O chão é estreito
Comparado à minha fé nas coisas que vêm de você
Eu canto com as gotas da chuva
As últimas de uma tarde cinzenta
O amor é químico e é tão metabólico
Quanto a alma do poeta.







*Musica: The Show Must Go On - Pink floyd




* *Aristides Coutinho é estudante de Artes Visuais da UNOPAR , fotógrafo, designer gráfico e um artista de muita sensibilidade.


5 comentários:

aristides disse...

ow meu querido Totonho, muito obrigado por essa, que para mim, é uma grande homenagem! ... vlw ...

Silvia disse...

Vou ser a primeira a comentar. Mais maravilhoso do que ver o produto final do olhar do Eric é ver o processo criativo dele. Sensível, como disse o Antonio, um olho bom e o homem que não cansa de me encher de orgulho.
E este poema Antonio, é seu? Você é um artista completo, uma daquelas raras pessoas que conseguem perceber a arte em sua essência!!
Big kiss!

Magda Camila disse...

Eu até imprimi esse post.
O amor é quimico sim querido poeta, tenha certeza disso. Que foto fantástica! Parabéns pelo belo post e parabéns ao Aristides.

magda camila

baroni disse...

Belíssimo!

Anônimo disse...

Há tempos não passava por aqui.
Grande sacada!
Linda foto!
A gotas de chuva são como lágrimas de amor.

Nana

Postar um comentário

Diga-me algo