segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A cidade e suas feridas...

A guerra do Rio
Por Antonio Siqueira










O Rio de Janeiro necessita de mais estratégia e planejamento nas suas ações relacionadas à segurança publica, pois a policia não consegue ser onipresente. Os arrastões deixam claro que a ocupação dos morros pela policia está trazendo bandidos para as ruas. Fazem-se necessários; planejamento da policia, utilização de helicópteros, motos, ações diferenciadas, etc., antes que coisas piores aconteçam. A polícia deve surpreender os bandidos, e não o contrário – como e São Conrado, mês passado. Inteligência é a alma no exercício das atividades, principalmente em relação à segurança publica.

Com a nova ocupação pelo BOPE do Morro dos Macacos, em Vila Isabel, preparando-o para mais uma UPP, verifica-se o já conhecido: a fuga como ratos do esgoto de marginais que dominavam a área. Ninguém quer encarar o BOPE de frente (quem dera que eles encaracem).  Isso comprova que a violência na cidade tem solução, restando apenas a continuidade da estratégia de se dar aos carentes urbanos aquele mínimo de condições dignas de sobrevivência, para que tenhamos o patamar social que toda grande cidade possui. Educação e saneamento são as chaves desse entendimento.

Absurdos sob os olhos do comando

Senhores  Governador e Prefeito, qual é a função da Policia Militar e da Guarda Municipal? A pergunta tornou-se necessária quando descubro pelo site G1 que foi roubada uma escultura em bronze de 1,80 m e 250 quilos, que estava afixada sobre um pedestal a cerca de 5 metros de altura, no meio de uma praça de grande movimento, isso bem em frente a uma obra publica de importância que, presume-se, deveria também estar sendo vigiada. Roubaram a "Mulher da Luz", da Praça das Nações. Agora é oficial: a cidade voltou à idade das trevas! Roubaram a luz no fim do túnel.

“A luz no fim do túnel pode ser um trem vindo em direção contrária.”

5 comentários:

mariza disse...

governador e prefeito devem estar mais preocupados, neste momento, em fazer propaganda pro pt. situaçãozinha lamentável, né não?
beijinhos, querido, e um excelente dia pra você.

Anônimo disse...

Como alguém consegue roubar algo tão grande na Praça das Nações? Isso é coisa de operário da prefeitura.

André

Celso Lins disse...

Depois que roubaram o portão eletrônico da minha casa no bairro
Adriana (ninguén viu roubarem dois portões enormes de 2,50 X 3,5), nada me surpreende ou surpreenderá!!!

Anônimo disse...

Eu trabalho na Praça das Nações, Antonio...Estamos abismados com o ocorrido; mas as pessoas que convivem no entorno, já sabem de onde partiu esse furto infeliz.

Anderson Luiz Albertoni

Anônimo disse...

Essa cidade não corresponde aos padrões de criminalidade mais comuns, rs...

Eloy Castilho

Postar um comentário

Diga-me algo